top of page

BC eleva juro em 1,5 ponto para 9,25%. Reajuste faz com que ciclo de altas seja o maior desde 2002.

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) voltou a elevar a taxa básica de juros, sétima alta seguida de 1,5 ponto. Uma nova alta é esperada para fevereiro.

A despeito dos sinais de desaceleração da economia, o Copom decidiu continuar com a sua estratégia de aperto monetário para consolidar o processo de baixa da inflação e voltar a coordenar as expectativas do mercado.


A escalada atual, que partiu de 2% de juros em março, é a mais agressiva desde 2002 e produzirá a maior diferença entre taxa inicial e final desde a criação do sistema de metas para a inflação, em 1999.

Com o choque, o BC quer inibir o crédito e frear o avanço inflacionário visto desde 2020. Esse novo patamar dos juros muda o cenário das aplicações financeiras e investimentos em renda fixa, como CDB, LCI, LCA, tendem a se valorizar.


A variação da Selic também costuma refletir no encarecimento do crédito, como forma de conter a inflação. Desta forma, emissões de títulos de renda fixa pelas empresas se tornam uma opção interessante diante do aumento do custo dos empréstimos bancários.


Conte sempre com uma consultoria experiente e com profissionais qualificados para obter as melhores soluções.


Até a próxima!!!

MLuz Consultoria

4 visualizações0 comentário

コメント


bottom of page