top of page

Cenário de cautela para entradas na B3 aquece o mercado de M&A

O ano de 2021 registra o maior volume captado de IPOs (Oferta Pública de Ações, em português) da história: até o momento, nada menos que 44 companhias estrearam na Bolsa, somando mais de R$ 64 bilhões.

No entanto, os últimos meses têm sido marcados por cancelamentos, adiamentos e revisões de faixas indicativas, o que aqueceu o mercado de fusões e aquisições de empresas. Para se capitalizarem, as companhias estão dispondo de outros meios, como o mercado de M&A (fusões e aquisições), que disparou na pandemia.


Isso não quer dizer que a janela de IPOs tenha se fechado. Tanto assim que pelo menos 20 empresas estão na fila da CVM (Comissão de Valores Mobiliários). Mas o mercado ficou mais seletivo e exigente, o que, por outro lado, abre espaço para companhias com teses mais interessantes.


Motivos para a redução

O encolhimento do número de IPOs ocorre em um momento de aversão ao risco. O risco fiscal, instabilidade institucional, pressão inflacionária e dificuldade de andamento das reformas criam um cenário em que o prêmio exigido pelos investidores para os negócios em Bolsa fica mais alto. Isso significa que a empresa terá de pagar mais para levantar dinheiro na Bolsa.


Alta da taxa de juros

Outro aspecto que tira os holofotes da Bolsa é a alta da taxa de juros, que pode terminar o ano em 9%, o que deixa a renda fixa mais rentável e o mercado acionário menos atrativo.


As sinalizações que o mercado americano tem dado da diminuição dos estímulos, a crise energética e elevação do preço do petróleo, piora a inflação mundial e aumenta a taxa de juros.


Bolsas mundo afora

A queda no número de IPOs também é sentido em outras Bolsas. Pelo menos oito empresas na Europa congelaram os planos nos últimos 30 dias.


Mercado mais seletivo

Se por um lado as incertezas desanimam os investidores, por outro um mercado mais seletivo pode aumentar a régua de exigência para que boas empresas cheguem à Bolsa. Teremos um ambiente mais racional e mais saudável.


Perspectivas para 2022

Para 2022, ano de eleições e que será marcado por uma forte polarização, as coisas podem ser ainda piores. Analisando o histórico de IPOs em anos eleitorais, a tendência é encontrar o mercado mais desafiador e com incertezas no primeiro semestre.


A Oferta Inicial de Ações (IPOs) e Fusões e Aquisições (M&A) são processos complexos e estratégicos para o crescimento de empresas.


Para obter as melhores soluções, conte sempre com uma consultoria experiente e com profissionais qualificados.


Até a próxima!!!

MLuz Consultoria

3 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page